quinta-feira, outubro 27, 2005

Remuneração de Professores


É preciso repensar a forma de remunerar os Professores

Vejam essa notícia:


Professores podem ter piso salarial de R$ 1 mil
Enquanto tramita no Congresso Nacional a proposta do Fundo da Educação Básica (Fundeb), o Ministério da Educação pretende aproveitar a perspectiva de aprovação do fundo para resolver a questão salarial dos professores. Em parceria com a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), avalia a possibilidade de implementar um piso salarial nacional de R$ 1 mil.

A autorização para o estudo técnico sobre a viabilidade do piso foi dada pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em audiência ao ministro da Educação, Fernando Haddad, ao secretário-executivo, Jairo Jorge, ao secretário-executivo adjunto, Ronaldo Teixeira, ao secretário de educação básica, Francisco das Chagas, e à presidente da CNTE, Juçara Dutra Vieira, no último dia 21.

Segundo Teixeira, a proposta do piso de R$ 1 mil será estudada nos próximos 30 dias. "A votação do Fundeb é premissa para esse debate. No momento em que tivermos assegurado esse novo fundo, teremos a destinação de 60% dos recursos para a valorização salarial dos professores", avaliou o secretário. "Aprovada a proposta de emenda constitucional do Fundeb, poderemos estudar a implementação efetiva do piso solicitado pelos trabalhadores."


Segundo levantamento apresentado ao governo pela CNTE, a média nacional de salários varia de R$ 500,00 a R$ 700, com disparidades de um estado para outro. Em Pernambuco, o salário-base de um professor é de R$ 230,00 para 30 horas semanais de serviço. Ou seja, inferior ao salário mínimo.
. Fonte: http://www.nota10.com.br/corpo.html#bra1


Nada mais justo que melhorar a remuneração dos nossos professores. Entretanto, precisamos sair desse paradigma de horas-aulas para considerarmos uma nova lógica: meritocracia. Os profissionais de educação precisam se engajar numa lógica onde a melhoria da remuneração passa pelos resultados apresentados. É preciso que sejam avaliados pelo retorno que dão e remunerados de acordo com ele. Também é necessário considerar outros fatores nesse processo de avaliação, como qualificação, escolaridade e desempenho dos alunos.


Por outro lado, a categoria deve transmitir informações que não sejam distorcidas. Um exemplo é o salário-base de Pernambuco citado acima. O salário-mínimo é calculado sobre 44 horas semanais. Nessa carga horária, o salário de Pernambuco equivale a R$ 337,00 e, portanto, ao contrário do que foi dito, não é inferior ao mínimo.


Parece que os professores "mataram" as aulas de matemática!

2 comentários:

Luzinda disse...

Marcelo:
Achei muito legal. Aqui encontramos assuntos da atualidade.
Assuntos muito interessantes.
Parabéns. Está excelente.

vinicius disse...

É!!!

Além de melhorar os salarios dos professores deveria primeiro melhorar sua formação inicial, um licenciado em biologia tem sua nota no enade dividida com os bachareis, assim não da para identificar a nota e a situação real das licenciaturas brasileiras...

Professores Burros (que não sabem a materia e não sabe passa-la) vão tornar os proximos profissionais burros tbm...

(ah! o blog ta xou!!!)