sábado, outubro 01, 2005

Educação

Inovação é difícil

Faço parte de um grande número de grupos na internet. A grande maioria deles relacionados à educação. Nos últimos dias tenho apreciado o debate entre os participantes de um deles. O grupo é formado na maioria por docentes. E é impressionante como são fechados a qualquer tipo de inovação ou idéia que fuja ao atual "status quo". Um dos participantes sugeriu um novo modelo de financiamento para as escolas, onde o governo liberaria 20% do valor do imposto de renda a pagar para ser aplicados pelas empresas em educação. Pois não é que os demais participantes lavantaram um verdadeiro bloqueio em torno da idéia, que para eles representa a privatização das escolas públicas?

Não entenderam que o modelo proposto é o de gestão privada da escola pública. E pior: os argumentos são totalmente ideológicos e sem nenhuma consistência prática. Numa das últimas publicações da revista VEJA o prof. dr. Cláudio Moura Castro apresentou um dado que foi amplamente rechaçado pelos professores, que o entenderam como uma opinião pessoal do articulista. A conclusão foi inevitável: como esperar que os alunos compreendam e interpretem um texto se nossos professores são incapazes de fazê-lo?

Durma-se com um barulho desses...

3 comentários:

Vera Vaz disse...

Oi Marcelo
Faço parte do 4 pilares e aceitei seu convite para vir aqui...
Conheço bem essa situação... acho que MUDANÇA (principalmente as que acarretam responsabilidade, cobrança e mais trabalho) causam mesmo arrepio ao professorado!
Vida longa ao seu blog!
Vera Vaz

Elizabete Descrovi disse...

Oi, Marcelo
Trabalho na rede pública e na rede privada de educação. Acredito no bom senso dos governantes para que esta idéia de "privatização branca" não aconteça nas escolas, e não é por medo de mudança não, pois já tivemos experiêncai não muito boas no PR com a tercerização de alguns setores da educação. Infelizmente a honestidade faz parte de um pequeno grupo de pessoas. [ ]ss da terra das cataratas!
Bete

Marcelo Freitas disse...

Oi Bete,
agradeço seu contato e concordo com você sobre a questão da honestidade. Só queria mesmo é que pudéssemos aprofundar na questão sem repeli-la de pronto, como aconteceu no grupo. Sempre que uma ídéia nova se apresenta, procuro sempre trocar o "não dá certo' pelo "por que não" ou "o que seria necessário pra dar certo?"
Assim como você eu também gostaria de ver a educação como âncora de inovação e excelência. obrigado pela sua observação!