segunda-feira, outubro 03, 2005

Armas de fogo

Quais as piores armas de fogo?

Não bastasse termos de aguentar aqueles longos horários eleitorais gratuitos tivemos também o horário do referendo pela proibição do comérico das armas de fogo. E tome paciência. O fato é que, diante de tantas notícias de corrupção a que temos sido expostos nos últimos meses, seja no senado, na câmara ou nos campos de futebol, uma idéia interessante seria substituir o objeto em questão - as armas de fogo - pelas canetas Mont Blanc.

Os maiores crimes da república estão sendo praticados através delas, ou seus similares, posto que de uma categoria dos seus portadores somos vítimas de espólio, roubo e corrupção. Tais crimes, não menos sujos que aqueles originados a partir das armas de fogo, nos jogam, cidadãos brasileiros, na mais crítica condição de vítimas dos políticos e dos "mais espertos que os outros". No frigir dos ovos, que diferença há nos estragos causados pelos fuzis AR-15 dos traficantes da Rocinha e as canetas usadas nas falcatruas dos políticos? Gente morrendo aos montes nas filas dos hospitais públicos, pela falta de verbas que foram apropriadas pelo pessoal do congresso ou do poder executivo. Propinas e lavagem de dinheiro subsidiada com recursos que poderiam dar moradia àqueles que padecem sob os viadutos das grandes cidades. Remédios que não podem ser distribuidos porque os recursos foram surrupiados dos cofres públicos pela ação da caneta de um cidadão eleito pelo voto popular.

Assim sendo, sugiro, senão trocar, pelo menos incluir entre as armas essa aí, acima. Eu já tomei a minha decisão: qualquer referendo que não considerar o desarmamento das canetas dos nossos parlamentares, eu voto NÃO!

2 comentários:

Joao Soares disse...

Ola Marcelo
Bem vindo à blogosfera!!
MUITA PAZ:)
BioTerra

Anônimo disse...

Caro colega concordo plenamente, não sou a favor do desarmamento de pessoas de bem como a maior parte da população, sou a favor do desarmamento dessas políticos sem vergonhas que fazem a maoir sacanagem com o dinheiro público e ficam por isso mesmo. não ao referendo...................